A restrição do low poo e no poo (Ou porque eu deixei de seguir essa onda)

Como tudo que eu posto aqui, esse texto reflete apenas MINHA OPINIÃO. Ninguém está sempre 100% certo ou errado; o legal do livre arbítrio é que cada um faz o que acha melhor.

Mas, vamos lá. Ano passado, eu fiz um post bem iniciante sobre o que é low poo e no poo. Não vou explicar com muito detalhes hoje, mas tá aqui o link do outro post pra quem quiser ler. Segui as listinhas de produtos liberados/proibidos por vários meses, até que desisti.

Por que?

Bom, em primeiro lugar, por preguiça. Às vezes, meu shampoo acabava e eu precisava comprar algum outro aqui por perto de casa; nem sempre eu encontrava um produto bom, liberado, que se desse com meu cabelo, cruelty-free e BARATO. Acabou que fui comprando um e outro shampoo não liberado e depois de um tempo, abandonei o low poo de vez.

Segundo: eu precisei adaptar totalmente meus cuidados capilares depois que descolori o cabelo. Descolorir destrói o fio pra caramba e, mesmo tendo feito meses de cronograma capilar em preparação, meu cabelo desenvolveu novas necessidades. A última vez que eu tinha descolorido o cabelo foi há uns oito anos, então eu nem lembrava de como ele ficava. Precisei mudar o shampoo, o condicionador, as máscaras de tratamento e o que eu usava pra finalizar. Nesse período, priorizei totalmente produtos que deixavam meu cabelo mais bonito (independente de ser ótimo pra tratar ou não). Junto com a preguiça, foi o que me impulsionou mais ainda pro desapego.

Por último, desde que comecei o low poo, eu refletia sobre toda a característica restritiva do negócio. Eu não lido bem com restrições (a única que eu sigo 100% na vida é a de não usar produtos de beleza que testam em animais). Quando pesquisava, ficava assustada com o tanto de coisas que as minas do low e no poo colocavam como proibidas. Falava-se muito sobre produtos que causavam câncer, que interferiam no sistema reprodutor, que eram praticamente venenos… e eu sentia um sensacionalismo nisso.

Veja, EU SENTIA. As crenças são coisas muito pessoais de cada um.

Parabenos e sulfatos, por exemplo. Já vi posts de blog associando a presença desses componentes com disrupções hormonais e câncer. Bom, por mais que nosso sistema capitalista faça com que geral priorize dinheiro, eu ainda tenho crença nas pessoas e instituições. Acredito em pesquisas científicas, principalmente quando há inúmeras delas apontando para resultados semelhantes. Li vários artigos que explicavam que a absorção de componentes em produtos cosméticos pelo corpo era bem pequena. Por isso, se temos um caso mais grave (como a acne severa que eu tive), é necessário utilizar tratamento via oral.

Óbvio que uma alimentação natural, priorização de produtos naturais, etc são incrivelmente vantajosos. Afinal, é o natural. O que me incomoda é o extremismo e o sensacionalismo. É algo que não funciona pra mim.

Há pessoas que estudam anos, dedicam toda sua vida a pesquisas e trabalhos científicos e, ainda assim, o público geral dá prioridade a opinião de uma blogueira ou personalidade do instagram. Eu vejo a ironia de estar falando isso e estar dando aqui minha opinião. Mas eu estou longe de ser a dona da verdade. Não acho que faz sentido confiar cegamente no que a gente vê pela internet! Quem escreve os posts pode errar, né? Eu, inclusive, já errei.

Vamos aproveitar a internet e PESQUISAR. O Google Acadêmico tá aí, cheio de artigos científicos de livre acesso.

Ler os rótulos, saber o que está presente nos produtos que utilizamos diariamente e tentar entender como eles podem afetar a gente é uma iniciativa mega hiper ultra válida. Vamos fazer isso com calma e sabedoria, evitando nos privar de coisas que fulana ou cicrana dizem ser proibidas mas que dão super certo pra gente.

Ou não! O negócio é saber o que mais se alinha com você.

Ah, e me segue lá no instagram (Mudei o nome na @ do instagram, agora é @thaischeiadevicios)! Todo dia tô postando dicas e informações legais.

xoxo

Dica de app: Meu Cronograma Capilar

Já devo ter falado aqui, mas tenho muita preguiça de cuidar do meu cabelo. Tenho preguiça de pesquisar produtos, tratamentos, hidratações, etc. Quando comecei a ouvir falar do cronograma capilar, nem me interessei muito, porque via a galera falando que você tinha que analisar as necessidades do seu cabelo e montar um calendário específico de cuidados. Isso parecia trabalho demais pra mim, hahahah!

Daí, acabei esbarrando nesse app: Meu Cronograma Capilar. Já estava planejando descolorir e pintar o cabelo, então achei que poderia ser uma boa ver como essa coisa toda de cronograma funcionava. Baixei o aplicativo no meu celular e agora não fico mais sem!

Primeiro, o app não é muito pesado. Antes de trocar de celular, sofria muito com falta de espaço na memória do iphone, então isso fez muita diferença! É intuitivo, bonitinho, fácil de usar. As propagandas são chatinhas, mas é o que possibilita o aplicativo ser usado gratuitamente né… aí a gente compreende. Existe a opção de fazer uma assinatura premium, onde não há anúncios e você pode tirar dúvidas, mas não senti necessidade nenhuma disso.

Para montar seu cronograma personalizado, o app faz você responder um quiz. Testei várias vezes colocando respostas diferentes e obtive cronogramas diferenciados. Na minha experiência, o quiz funciona, sim. Você responde perguntas sobre o tipo, curvatura do fio, químicas e condições atuais do cabelo. A partir daí, um calendário de hidratação, nutrição e reconstrução é apresentado.

Aqui vale uma observação, um detalhe sobre cuidados capilares que eu não fazia a menor ideia: nosso cabelo não precisa só de hidratação. Eu costumava achar que se meu cabelo estava feio, era só passar uma máscara mega hidratante várias vezes e, em algum momento, ele ia voltar a ficar saudável. Não é assim que funciona. A hidratação repõe água no fio; a nutrição devolve lipídios à fibra capilar; a reconstrução é responsável por repor proteínas ao seu cabelo. É preciso que água, lipídios e proteínas estejam em equilíbrio para que seus fios fiquem bonitos e saudáveis.

Depois de feito seu cronograma personalizado, o app vai te lembrar nos dias determinados qual etapa você deve realizar. O intervalo entre os tratamentos é sempre de 48 horas. Um outro ponto legal do aplicativo é que ele tem um blog oficial; apesar de muito sucinto, o post de explicação sobre como funciona o cronograma capilar me ajudou a começar a entender as diferentes etapas e que produtos eu poderia usar em cada uma.

O aplicativo Meu Cronograma Capilar está disponível para iOS e Android.

xoxo.

 

Low Poo: O que é? Como começar?

Resolvi, logo no comecinho desse ano, que cuidaria um pouco melhor dos meus cabelos. Acne e oleosidade eram problemas que me incomodavam muito e abalavam minha auto-estima, então minhas madeixas sempre foram deixadas de lado. Rabo de cavalo e coque fazem parte do meu dia a dia.

Uma das “novidades” nos cuidados capilares é a toda a coisa de low poo, no poo e co-wash. Novidade entre aspas mesmo, porque tudo isso já é super famosinho há um tempo, mas eu comecei a aprender sobre o assunto mês passado. Ainda estou implementando tudo na minha rotina diária, mas acho que é mega interessante de dividir aqui.

Primeiro: o que é low poo, no poo e co-wash?

Para começar, os nomes No Poo e Low Poo são nomes registrados da Deva Curl, marca pioneira em cuidados para cabelos crespos e cacheados. Uma das fundadoras da marca (Lorraine Massey) escreveu o livro Curly Girl, em que fala sobre a utilização de “pouco shampoo” (low poo) ou “nenhum shampoo” (no poo) na limpeza do cabelo, o que garantiria mais saúde e proteção natural aos fios. A partir daí, essas técnicas e expressões começaram a se popularizar.

De maneira resumida:

No Poo – não é utilizado shampoo para limpar o cabelo

Low Poo – só são utilizados shampoos liberados para limpar o cabelo

Co-Wash – a limpeza do cabelo é feita com condicionadores liberados

Por enquanto, só comecei a me aprofundar mesmo na questão do LOW POO. Então, só vou comentar sobre minha experiência com esse método.

A gente ama uma espuma

Desde criança, sempre amei ver aquele monte de espuma na minha cabeça. Aquilo fazia eu me sentir como se estivesse em um filme ou desenho. Até hoje, só consigo me sentir limpa depois de passar muita espuma pelo meu corpo. Já cheguei a passar shampoo no cabelo 4 vezes em um banho pra sentir que ele estava limpo de verdade.  Quando comecei a ler sobre low poo e no poo, vi que isso estava muito ligado às noções ocidentais de limpeza.

Toda essa espuma vem de agentes de limpeza do shampoo. Substâncias como os sulfatos retiram, junto com a espuma, a oleosidade natural do cabelo – que existe para sua proteção. Essas substâncias são extremamente comuns nos shampoos e causam muito ressecamento nos fios.

Brilho não natural

Às vezes, a gente mal termina de lavar o cabelo e já sente ele todo ressecado. Às vezes, o efeito é outro: saímos do banho e sentimos o cabelo imediatamente macio e brilhoso. Sabe aqueles produtos que “fazem milagre em 3 minutos”? O que eles fazem não é tratar o cabelo, mas apenas MAQUIAR os problemas existentes.

Os petrolatos, como a vaselina, o óleo mineral e a parafina líquida, têm exatamente essa ação. Eles agem superficialmente, dando brilho e um aspecto saudável aos fios, porém mascarando o ressecamento e a carência de nutrientes que os outros agentes químicos causam.

Essa película superficial também impede a absorção correta de vitaminas e nutrientes pelo cabelo. Ou seja, torna o tratamento capilar totalmente ineficaz.

Começando o Low Poo

Antes de jogar tudo que você tem fora e sair comprando um monte de produto caro, é legal parar pra ler o rótulo do que você já tem por aí. Primeiro, porque pode ser que você já tenha produtos que podem ser reaproveitados; segundo, porque é muito importante a gente acostumar a ler o rótulo de tudo que a gente consome. No final do post, vou deixar uma lista com todas as substâncias proibidas :)

Quando decidir começar na técnica, lave seu cabelo uma última vez com um shampoo COM SULFATOS MAS SEM PETROLATOS. A intenção é retirar todos os resíduos de petrolatos dos fios! Essa fase inicial é a mais chata. Seu cabelo vai se livrar da “maquiagem” dos petrolatos… então é comum ficar um aspecto ressecado e sem vida. É importante lembrar que isso faz parte da recuperação.

Rotina

O produto em si que você vai escolher e sua rotina dependem do seu tipo de cabelo e do resultado que você quer alcançar. Meu cabelo tem raiz oleosa e pontas muito ressecadas, e eu quero muito que ele cresça. Estou usando um shampoo e um condicionador de uso diário liberados para low poo da Salon Line. Acabo usando um dia sim e um dia não, pois também estou fazendo cronograma capilar (depois faço post sobre!).

A ordem segue normal: shampoo – máscara – condicionador – finalizador (leave-in) ou shampoo – condicionador – finalizador (leave-in).

Ocasionalmente, uso um shampoo com sulfato para fazer uma limpeza mais profunda. Quando, por exemplo, vou a uma festa e cai tinta, bebida, fumaça, glitter e etc no meu cabelo. Sinto que o importante é compreender como esses agentes químicos funcionam e ter alternativas pra excluí-los da minha rotina!

Abaixo, vou deixar disponível para visualização e download as listas de substâncias proibidas!

xoxo