Resenha: Base líquida matte HD 24 horas Zanphy

Atéé que enfim tô chegando com uma resenha novíssima!

Hoje vou falar da base líquida matte HD 24 horas da Zanphy. Comprei a minha na loja Maquiadoro por R$25,90 (30ml). Achei ela meio cara (comparada com outras marcas dessas baratex), mas tava bem curiosa pra saber como ficava na pele; vi também que o o preço em várias outras lojas era mais barato, só que nenhuma delas tinha a cor 0.1 Porcelana Clara (a mais clara).

A descrição da marca:

Ideal para o uso diário a Base Líquida Matte HD 24 HORAS – Zanphy promete excelente cobertura e duração de até 24 horas. Textura cremosa, tem secagem rápida, cobertura média e natural, para peles normais a seca dispensa o retoque do pó compacto, pois já oferece um toque aveludado impecável. Versão melhorada da Base Matte HD Zanphy, proporciona efeito high definition. São seis cores para você escolher e não errar no tom, é importante olhar a foto com a aplicação das cores com atenção, pois os nomes podem confundir um pouco.

Bom, começando pela embalagem: funcional, fecha bem e tem uma área transparente que mostra a cor do produto dentro do plástico. Curti. A seguir, o cheiro. A base tem um cheiro forte e iguaaalzinho a hipogloss. Nunca gostei do cheiro de hipogloss, então já me entristeci aí.

 

A textura é cremosa e bem densa, parecida com as de outras bases matte de alta cobertura (como a da Tracta e a da Ruby Rose). Mesmo com o nome “porcelana clara”, achei a cor da base muito escura. De cara, percebi que não ia dar certo. E ela oxida MUITO! Depois de seca, ela fica muito mais escura e amarelada.

 

É uma base de toque seco, acabamento matte e alta cobertura. Não sinto necessidade nenhuma de selar a pele com pó. Não é uma base difícil de espalhar, mas por ser muito seca, requer um cuidado pra não deixar a pele marcada ou com linhas finas realçadas. A secagem dela é muito rápida. Como já disse, ela oxida, então a medida que vai secando, o rosto muda totalmente de cor.

Mesmo tendo comprado a cor mais clara, não rolou pra mim. Pra conseguir usar, misturo com o corretivo branco da Bruna Tavares. A make das fotos a seguir foi feita exatamente com essa mistura. As sombras usada nesse look são da paleta Be Fantasy, da Ruby Rose.

 

A durabilidade passa longe das 24 horas descritas pela Zanphy. No máximo 3-4h depois da aplicação, a base começa a sair sozinha. Qualquer suor, líquido ou água mancha total a pele e tira a base. Não aconselho jamais a usar em dias quentes. As fotos abaixo foram tiradas depois de cinco horas usando a base em casa. (Fotos feitas à noite, por isso a qualidade ruim).

 

Da época da minha compra pra cá, a Zanphy relançou as bases, com uma embalagem nova e umas mudanças nos tons. Agora, existe um tom abaixo da 0.1 e são oito cores no total. Não tenho nenhuma vontade de testar os tons novos. Mesmo que a 00 seja mais clara do que a base que eu tenho, tenho a sensação que continua sendo escura. Também não curti o fato de ela manchar muito fácil. Ando de ônibus, metrô e a pé… não dá pra ficar usando uma base que mancha com o menor sinal de suor (e duvido que isso tenha mudado também).

Enfim, não acho a base líquida matte HD da Zanphy um bom investimento de forma nenhuma. Vou usar a que eu comprei pra treinar maquiagem e etc, só pra não perder o dinheiro.

Ah, e pra quem quiser saber, segue a composição:

Cetearyl Alcohol, 2-Bromo-2-Nitropropano-1 3-Diol, Stearic Acid, BHT, Cellulose Gum, Lanolin, Glyceryl Stearate, Propylparaben, Propylene Glycol, Polybutene, Paraffinum Liquidum, Magnesium, Aluminum Silicate, Methylisothiazolinone, Aqua, Aminomethyl Propanol, Dmdm Hydantoin, Manihot Utilissima Starch, Hdi/Trimethylol Hexyllactone Crosspolymer, Sílica, Dimethicone, Cyclopentasiloxane, Parfum, Linalool. Pode Conter: CI 77491, CI 77492, CI 77499, CI 77891.

Por hoje, é só! Se alguém tiver testado a base nova da Zanphy, me conta sobreee!

xoxo

Resenha: Corretivo Concealer Contour Ruby Rose

(Corretivo Concealer Contour 6 Cores Profissional  – HB-8089)

O Corretivo Concealer Contour é uma paleta de corretivos da Ruby Rose com tons que servem pra contornar, corrigir e camuflar a pele. A diferença dessa paleta pra outras da marca é exatamente a presença dos tons utilizados para neutralizar áreas “problemáticas” do rosto.

São seis cores; infelizmente, nenhuma das 6 cores dá muito certo no meu tom de pele. Ok que nenhum dos corretivos da paleta é pra servir como um corretivo tradicional, mas esperava que eles ornassem um pouco melhor.

A cor mais escura é a que deve ser utilizada para contornar o rosto. É um marrom bem suave, então só serve como contorno mesmo pra quem tem a pele clara. Acho que se ele fosse um pouco mais frio, eu teria gostado bastante.

O corretivo verde serve pra camuflar pontos avermelhados na pele, sejam eles espinhas, cicatrizes ou vasinhos.

O tom roxo neutraliza manchas da pele que são amarronzadas, amareladas ou alaranjadas. Também é usado pra camuflar pontos de inflamados.

Além desses, temos mais três corretivos coloridos: o amarelo, o laranja e o salmão. Os três são utilizados para a correção de olheiras. O amarelo funciona em olheiras arroxeadas (e hematomas); o laranja cobre olheiras mais profundas, mais puxadas pra cor marrom; o salmão funciona de forma semelhante ao laranja, porém em olheiras azuladas.

 

Nessa maquiagem, usei o corretivo amarelo pra iluminar, o mais escuro pra sombrear (contorno), o rosado (salmão) usei como blush e o mais claro usei no resto do rosto.

Todos são bem cremosos/oleosos e não secam completamente. Sem selar com pó, não duram dois segundos na minha pele mega oleosa. E mesmo selando, senti que ainda transfere um pouco.

Não achei fácil de espalhar pra criar um efeito legal, mas com paciência se resolve. Selei com o pó 01 da Dalla Makeup e gostei muito do resultado. Segurou minha oleosidade por umas cinco horas (mas vale ressaltar que o clima aqui tá friozinho e eu só trabalhei sentada no dia).

Apesar de custar menos de vinte reais (o preço no site da RR é R$18,97), achei trabalhoso de usar, então não compraria novamente. Acredito que os corretivos coloridos da Ruby Rose em bisnaga funcionam melhor. E aí, você compra na cor que você costuma usar (eu, por exemplo, uso mais corretivos verdes, pra anular a vermelhidão das minhas espinhas), sem precisar comprar uma paleta inteira.

Os corretivos em bisnaga da RR também criam uma cobertura mais alta e mais duradoura (tenho um bem escuro que uso como contorno. Já tem resenha aqui.)

Vocês já conheciam esse produto? O que acharam?

Se você quiser uma resenha de um produto específico – da Ruby Rose ou de qualquer outra marca – me avisa no Instagram e eu vou atrás de testar! <3 Segue lá: @blogcheiadevicios!

xoxo

Resenha: Sérum Encanto da Sereia Ruby Rose

Eu sou muito da opinião que maquiagem é maquiagem e tratamento é tratamento. Não costumo tentar usar como “tratamento” produtos de marcas de make; maaaas, como só o que tá rolando são esses sérums e óleos de cuidados com a pele (acredito eu que influenciados pelo sucesso da Farsáli), resolvi me render e testar alguns. O primeiro que eu comprei e testei foi o Sérum Encanto da Sereia da Ruby Rose.

A descrição no site da RR é a seguinte:

O Sérum Facial Hidratante da Ruby Rose foi produzido especialmente para peles que precisam de um cuidado diferenciado, juntamente com sua fórmula alto hidratante o Sérum se adapta muito bem a todos os tipos de pele, além de reduzir a aspereza e o ressecamento ele pode ser utilizado diariamente. O resultado é uma pele saudável, hidratada e radiante. Possui ação hidratante, emoliente, restauradora, remineralizante e condicionadora. Shiitake – Rico em proteínas reestruturantes que melhoram a resistência da pele. Ginseng – Cicatrizante, dermopurificante, emoliente tendo efeito bioativador, tonificando, hidratando e regenerando os tecidos da pele. Ginkgo Biloba – Ação profilática do envelhecimento celular e tratamento estético pela ação protetora contra radicais livres e pela inibição da destruição do colágeno. Aveia – Possui ação emoliente, nutritiva, hidratante, remineralizante, suavizante e amaciante. Germe de Trigo – tem ação emoliente, hidratante, nutritivo e amaciante, antirradicais livres, calmante, condicionador, dermoprotetor, tonificante e regenerador da pele.

Benefícios do Sérum Facial Hidratante:

  • Promove uma pele hidratada e livre de ressecamentos
  • Testado dermatologicamente
  • Textura cremosa
  • Reestabelece os níveis de água da pele ao longo do dia
  • Aplicador prático e delicado
  • Fácil absorção
  • Livre de óleo mineral, parabenos e corantes.
  • Desenvolvido para todos os tipos de pele

Referência: HB311

Peso: 30ML

Promete alta hidratação e restauração para todos os tipos de pele; é livre de óleo mineral, parabenos e corantes. Vem com esse aplicador conta-gotas que é a maior modinha entre as blogueirinhas do Instagram. Achei que era um negócio super líquido pela embalagem, mas tava enganada. Eu, pessoalmente, odiei esse frasquinho. O produto tem uma fórmula mais densa, grossa, então não “pinga” facilmente pelo conta-gotas.

Composição:

Aqua, Cyclopentasiloxane, Dimethiconol, Butylene Glycol, Caprylic, Triglcyceride, Dimethicone, Sodium, Polyacrylate, PEG/PPG-18/18, Dimethicone, Trideceth-6, Phenoxyethanol, Caprylyl, Glycol, DMDM Hydantoin, Parfum, Dimethicone Crosspolymer, Cyclomethicone, Hyaluronic Acid, Disodium, EDTA, Benzotriazolyl Docecyl P-Cresol, Octadecyl, Di-T-Butyl-4-Hydroxyhydricinnamate, Propylene Gylcol, Cicbarium Intybus Leaf Extract, Rose Extract, Sphingolipids, Tocopherol, Glycine Soja Oil, Gylicol Distearate, PEG-75 Lanolin, Glycyrrhiza Glabra, Rhizome/Root Extract, Bertholletia Excelsa, Seed Oil, Hydrolyzed Rhodophycea Extract, Methylisothiazolinone, Tocopheryl, Acetate, Saccharum Officinarum Extract, Panax, Quinquefolium Root Extract, Avena, Sativa Kernel Extract, Bambusa, Vulgaris Extract, Corthellus Shitake Extract, Ginkgo, Biloba Leaf Extract, Triticum, Vulgare  Germ Extract, Panthenol, Iodopropynyl Butylcarbamate, Biotin, Menthol, Alpha Isomethyl Ionone, Amyl, Cinnamal, Benzyl Benzoate, Benzyl Salicylate, Butylphenyl Methylpropinal, Citronello, Hexyl Cynnamal, Hydroxycitronellal, Hydroxyisohexyl-3- Cyclohexene Carboxaldehyde.

Não acho que o poder hidratante seja alto assim, pra tratar ressecamentos e etc. Mas sim, deixa a pele macia. Tenho usado todos os dias e não senti nenhuma alergia, piora da acne ou irritação (existe uma fobia enorme com os produtos de pele da Ruby Rose; muita gente relata casos graves de acne depois de usar a base, os corretivos e até o primer da marca). Custa R$17,68 no próprio site da @rubyrose_oficial. Por causa da embalagem, não sei se compraria novamente. Tô imaginando como vai ser péssimo pra usar quando o sérum estiver no finzinho.

Vou deixar aqui também o link da resenha da Marina, do Coisas de Diva. Como eu, ela está usando o sérum como um primer, não como tratamento da pele!

Durante o mês de julho, tem texto novo TODO DIA! Vamos aprofundar em cosméticos cruelty free, veganos e marcas que não testam em animais.

Segue lá no Instagram também (@blogcheiadevicios) pra não perder nada!

xoxo

O que é Cruelty-Free? Como identificar?

Em tradução literal, “cruelty-free” significa livre de crueldade. Na prática, esse termo se refere a produtos que foram desenvolvidos e fabricados sem o uso de testes em animais.

A nível internacional, a Cruelty-free International e a PETA (pessoas pelo tratamento ético dos animais) são as referências no que diz respeito a testes em animais. Essas organizações criaram seus próprios selos para identificar produtos e empresas que não fazem uso de cobaias no seu processo produtivo.

O selo de aprovação da PETA é o do coelhinho com as orelhas rosa; ele identifica empresas que não fazem testes em animais em nenhum estágio de desenvolvimento e produção (incluindo processos que possam ser feitos por terceirizados). Através de auditorias independentes e documentos comprovativos, a empresa se qualifica para receber esse selo. De forma semelhante, há o selo da Leaping Bunny; a imagem é de um coelho saltitante e identifica empresas que se comprometem a jamais testar seus produtos em animais nem comprar ingredientes de fornecedoras que façam parte dessa prática.

 

As certificações são garantias que:

  1. O produto final, e os ingredientes que o compõe, não passaram por testes em animais em todos os estágios de desenvolvimento pela empresa, pelos seus laboratórios, fábricas ou fornecedores a partir de uma data definida;

  2. Nenhum teste em animal foi realizado posteriormente e durante o processo de certificação. A partir da data de emissão do selo, a empresa tem seus processos de fabricação monitorados;
  3. Auditorias independentes podem ser feitas pelas ONGs a qualquer momento.

(Informações retiradas do site da Simple Organic, marca de cosméticos cruelty free e vegana)

A Choose Cruelty-Free é uma organização australiana que tem seu próprio selo. Com a expansão da indústria por lá, é possível ver esse selo em muitos produtos por todo o mundo.

 

Você pode conferir os sites da Cruelty-free Internatinal (CFI), da PETA e da Choose Cruelty Free (CCF) aqui,  aqui e aqui.

Os produtos com selos Cruely-Free podem ter ou não ingredientes de origem animal. Para identificar produtos sem nada de origem animal, procure o selo vegano!

É importante lembrar que na indústria de cosméticos e maquiagens, grandes conglomerados dominam o mercado. Por isso, é comum que empresas cruelty free sejam vendidas a empresas maiores que não dividem a mesma preocupação. NYX, The Body Shop e Urban Decay são exemplos disso. A The Body Shop sempre aparece contra testes em animais, porém ela faz parte da L’oréal, empresa que ainda não eliminou completamente estes testes. A Urban Decay, que era referência nas maquiagens cruelty free (chegou a, inclusive, se recusar a entrar no mercado chinês*), também acabou sendo comprada pela L’oréal.

Errata: Quando escrevi esse post, não estava sabendo da venda da The Body Shop pra Natura. No segundo semestre de 2017, a Natura fez a aquisição da TBS; uma funcionária da loja me explicou que um dos motivos da venda havia sido a não identificação com os ideais da L’oréal. Fontes: Natura, Exame e G1.

Aí, acredito que entramos em uma questão ética individual. A Urban Decay e The Body Shop continuam com certificação da PETA; mesmo fazendo parte de um conglomerado gigante, elas individualmente mantêm o compromisso de não testar em animais. Muita gente não compra dessas marcas já que, em algum percentual, o lucro também chega na L’oréal. Pessoalmente, acredito que toda a indústria, de uma forma indireta ou direta, depende dessas grandes empresas. Por isso, compro sempre de empresas que falam abertamente contra testes em animais.

*OBS: Na China, os testes em animais são obrigatórios. Qualquer empresa de cosmético ou maquiagem que queira vender lá, precisa submeter seus produtos a estes testes. O blog Beleza Sem Crueldade, da Nicole Make, traz um post bem legal e informativo sobre isso; vale a pena conferir! Acesse aqui.

Esse é o primeiro texto de um projeto especial! Durante o mês de julho, tem texto novo TODO DIA! Vamos aprofundar em cosméticos cruelty free, veganos e marcas nacionais que não testam em animais.

Segue lá no Instagram também (@blogcheiadevicios) pra não perder nada!

xoxo