Tratamento da minha pele com acne Parte I

Adolescência, hormônios e acne

A acne é extremamente comum. Ainda assim, ainda é um assunto que ninguém gosta de falar abertamente. Sim, tenho acne. Sim, isso são espinhas.

https://cheiadevicios.com/2018/08/09/tratamento-da-minha-pele-com-acne-parte-i

Você pode ter se perguntado… mas gente, como que a Thais tá aí dando conselhos sobre cuidados com a pele,. beleza, estética e maquiagem se ela não tem uma pele de bumbum de neném? Se ela tem espinhas, como pode dar dicas úteis?

Por isso, resolvi fazer uma série de posts sobre toda a minha história com a acne. Começando, claro, pelo começo.

Acne, pele oleosa e poros muito dilatados são uma herança de família. Alguns poucos anos depois de eu menstruar pela primeira vez, comecei a ter problemas com espinhas. Começaram com alguns pontos inflamados, muuuuitos cravos e pele mega hiper ultra oleosa.

Eu devia ter uns 12 anos na época. E, na real, eu não tava nem aí pra minha aparência. Eu queria andar de bicicleta, brincar de patins, fazer penteados nas minhas barbies, jogar videogames e jogos de tabuleiros. Até uns 14 anos, essa era minha realidade (e não me arrependo nenhum pouco de ter vivido tanto minha infância).

Então, quando minha mãe apareceu com vários sabonetes e tônicos e cremes pra controlar minha acne, eu não dei atenção e quase sempre esquecia de usar. Foi assim até uns 13 anos, quando minha acne começou a piorar MUITO. Entre meus 14-15 anos, fiz muita limpeza de pele, fui em muitas consultas com dermatologistas, testei uma penca de cremes… mas nada funcionava. Quando eu tava ali chegando nos 16 anos, minha ginecologista conversou comigo sobre eu ter síndrome do ovário policístico.

Ela explicou que essa síndrome era diagnosticada através de exames de sangue, de imagem e de sintomas específicos. Também disse que, com o tratamento, com certeza minhas espinhas iriam melhorar. Então. lá vai eu começar a tomar anticoncepcional. E, olha, foi MILAGROSO.

Com pouquíssimo tempo de tratamento, minha pele era outra. Não tinha manchas, quase não tinha poros aparentes, a oleosidade quase não existia também… e meu cabelo, meu deus, as pessoas elogiavam meu cabelo! Tava tudo indo ás ,mil maravilhas. Até que eu fui parar no hospital. Foi quase um ano de idas á emergência, consultas, exames, médicos de diversas áreas… depois de muito rodar por aí (inclusive consultando médicos de outros estados), diagnosticaram que eu tinha algo chamado Angioedema Idiopático associado ao uso de estrógenos. Tentando simplificar: era como se eu tivesse alergia à estrógeno – o hormônio feminino que tem em quase todos os anticoncepcionais e que deixa a gente tão lindinha, com pele e cabelos perfeitos.

Ou seja, eu não posso tratar minha questão hormonal com o principal remédio que atenua os sintomas (excesso de pelos, acne, dismenorreia, etc etc. Já tomei roacutan (se você sofre com espinhas, há grandes chances de você ter ouvido falar dele, mas isso é assunto pra outro post), fui nos dermatologistas mais caros de São Paulo e a questão é: essa é minha pele. Ela sempre será acneica, sempre terá poros dilatados, sempre terei pelos em excesso no rosto.

Posso ter a pele perfeita sem tratar minha questão hormonal? Não. Mas posso atenuar de diversas formas! Todo o meu “regime” de cuidados com a pele é o que impede das espinhas tomarem 100% conta do meu rosto. Porque o negócio da espinha não é só a aparência: dói! E dói pra caramba! Sem contar que em casos que a inflamação tá exacerbada, pode rolar até de pegar infecções.

 Tudo que eu uso e recomendo aqui são produtos que eu testei por um tempo, não me deram alergia, não pioraram minha acne (no caso de maquiagens) e me ajudaram a manter a pele mais livre de espinhas!

No próximo post sobre minha acne, vou contar sobre meu tratamento com o Roacutan! Fiquem ligados e me acompanhem lá no instagram (@thaischeiadevicios).

xoxo

Resenha Base NYX Total Control

Testar essa base da NYX foi, por falta de melhor palavra, confuso. Testei de dia, de noite, no frio, no calor, com diferentes preparações da pele, selando e sem selar … e dia sim, dia não, eu mudava minha opinião sobre ela.

Sobre a embalagem: é de vidro fosco, o que permite a gente ver a cor da base e quanto de produto ainda tem lá dentro. Diferente da grande maioria das bases, essa da NYX só vem com 13ml (o mais comum é 30ml). Achei que o conta gotas funciona mito bem, pois a base Total Control é uma das mais líquidas que eu já conheci. Parece água. Não tem nenhuma fragrância forte que eu consegui perceber.

Comprei na cor Pale (TCDF01), a mais clara das opções. Pela primeira vez, senti que esse tom pode até ser um pouco claro demais. No site da NYX gringa, eles dizem que a cor tem subtom amarelado. Sinceramente, tô tão desacostumada a encontrar uma base clara assim que nem sei dizer se essa seria mesmo a melhor cor pra mim. Ah, e ela dá uma estourada no flash! No total, a Total Control Drop Foundation tem 24 cores disponíveis (no site americano tem 30 cores diferentes; como o site nacional não tem nada, não consegui ter certeza de quantas cores de fato são vendidas aqui).

A promessa do produto é ser especialmente pra peles oleosas, proporcionando controle total do brilho. A marca também promete cobertura “customizada” de leve a alta, de acordo com a quantidade de produto colocado no conta gotas.

No meu primeiro uso, odiei a base. Achei ela líquida demais, cobertura leve demais e, pra uma base tão leve, marcou toda e qualquer imperfeição da minha pele. Nas outras vezes, não apliquei ela diretamente na pele; fui colocando as gotinhas num pincel pra, em seguida, aplicar no rosto e dar acabamento. Dessa forma, senti que consegui deixar a base mais uniformemente espalhada, sem falhas.

Ela é mesmo uma base que controla a oleosidade. Fica totalmente seca, sem necessidade de selar com pó. Eu uso um pouco de pó translúcido no nariz, pois o óculos sempre tira a base toda se eu não selar. Quando usei lente, não precisei adicionar o pó. Ela tem uma durabilidade bem satisfatória; por ser sequinha, acabou durando mais em mim do que as bases de conta gotas da Vult e da Quem Disse, Berenice. Umas quatro horas depois da aplicação, ela ainda está quase intacta.

Bom, se ela é sequinha e dura bem, por que eu fiquei confusa com ela? Ela marca tudo. Deixa meus poros 100% mais visíveis e minhas cicatrizes da acne 200% mais evidentes. Esse efeito rola, principalmente, em luzes noturnas. Nessas imagens abaixo, espalhei umas três gotas na mão; dá pra ver como até os poros da mão ficaram mais visíveis.

Não achei que a cobertura dela consegue chegar até um nível mais alto. No máximo, ela varia de muito leve a uma cobertura mediana. É sim possível construir camadas com o produto. Porém, se eu vou adicionando mais produto pra tentar uma cobertura alta, aí que minhas “”imperfeições”” ficam gritando.

Meu uso preferido é de uma cobertura leve. Apesar de ser uma base de conta gotas, achei a proposta muito diferente das outras bases desse estilo que eu tenho; a da Vult e da QDB criam uma cobertura deixando ainda um viço, um quê de brilho natural. Não diria que é uma base boa pra pessoas com pele mista ou seca. Ela é uma base pra pele oleosa. 

A base Total Control Drop Foundation está a venda por R$59 nas lojas físicas da NYX. Como já disse, ela vem com 13ml de produto. Pra mim, esse preço é elevado pra quantidade de base. Comprei a minha em um bazar por R$30, então a dor foi 50% menor, risos. Por enquanto, a NYX não voltou com sua loja online aqui no Brasil e as lojas físicas estão concentradas em São Paulo e no Rio.

Não é uma base que eu compraria novamente. Na minha pele com poros mega aparentes (um detalhe genético, by the way), não deu certo. Mas agora que já comprei, vou usar até o fim, né?

xoxo