Resenha: Banana Powder Luisance

Quem não curte uma novidade?

Vem saber mais sobre o Pó Fixador Solto – Banana da Luisance!

https://cheiadevicios.com/2018/10/06/resenha-banana-powder-luisance

Apesar de adorar pó translúcido, só testei um pó banana: o da Luisance. Esse pó amarelado é indicado para a maquiagem de peles morenas/negras, por isso não me achava apta a testar.

Dei uma pesquisada e achei que o Banana Poder Luisance podia ser uma oportunidade legal para investir meu dinheiro.

O que o produto promete?

O Pó Fixador Solto – Banana é um pó solto super fininho, que proporciona uma textura sedosa/cremosa no toque da pele. Ele ajuda a “assar” os produtos cremosos, a famosa técnica baked, o que ajuda a fixar eles por mais tempo e de forma mais natural. Por ser fininho, ele dificilmente vai marcar ou craquelar, vai disfarçar os poros de forma natural e apesar da cor, ele possui o efeito translúcido que se adapta a pele na aplicação, também oferece aquele efeito de blur e uma leve cobertura. É o pó que estava faltando na sua nécessaire pra te ajudar ao longo do dia.

E o que eu achei?

EMBALAGEM

O vidrinho do pó banana Luisance segue o formato de vários outros nesse mesmo estilo. Curiosidade: esse tipo de pó ganhou fama com as Kardashian! O queridinho da Kim K. é o Banana Powder da Ben Nye. É feita de um plástico levinho e meio transparente, o que facilita ver a cor e a quantidade de produto.

Quando vou selar a maquiagem, costumo colocar uma pequena quantidade de produto na tampa e pegar com um pincel fofo; essa embalagem não permite isso, pois a tampa é bem pequena.

Tirando esse detalhe e a falta da composição escrita na embalagem, ela muito me agradou.

APLICAÇÃO

Quando minha pele está muito oleosa, uso pó translúcido no rosto todo; em fases mais secas, aplico só nas áreas mais oleosas para selar a base ou o corretivo. O pó banana da Luisance funcionou maravilhosamente bem pra isso!

É muito fino, leve e com textura macia. Espalha fácil sem manchar; mesmo tendo um tom amarelado, a cor some depois de esfumar. Um detalhe: essa característica é ótima para pele negra, pois possibilita selar a make ou fazer a técnica de baking sem deixar a pele acinzentada.

Gostei muito que ele não altera a textura da base, apenas deixa um toque aveludado que ajuda a aumentar a durabilidade da make. E, realmente, senti que minha oleosidade ficou controlada por mais tempo (sem ressecar a pele). Até na ponte do nariz, ajudou a base a fixar mais.

  • Não oxida;
  • Não ressalta linhas finas;
  • Estoura muito pouco no flash.

PREÇO

O frasco com 32g me custou R$15 na Michelle Bijouterias (lojinha da 25 de março). É muito produto! Para comparação: meu pó translúcido da Vult tem 6g e custou uns R$22. Até se você usa o mesmo pó todos os dias, é um produto que vai durar.

Gostei muito da minha compra! Só não acho que compro novamente porque não vai acabar tão cedo e eu tento sempre priorizar a compra de produtos que ainda não testei, para conseguir criar mais conteúdo para vocês!

Nesse produto, variedade de tons não é uma questão porque ele é pensado justamente para ser utilizado universalmente. Sei que a Luisance também lançou um pó translúcido fixador branco com embalagem no mesmo estilo, mas como são propostas diferentes, não sei dizer se funciona bem. E, né, não tenho dinheiro para comprar outro que pode ser quase igual! hahahahah!

Composição: Talc, Mica, Silica, Titanium Dioxide, Isopropyl Palmitate, Dimethicone, Diisostearyl Malate, Squalene, Tocopherylacetate, Phenoxyethanol. Pode conter: CI 77491, CI 77492.

Qualquer dúvida, podem deixar aqui nos comentários ou me procurar no instagram! Segue lá: @thaischeiadevicios

xoxo

Resenha: Base Líquida Matte Adversa Makeup

BASE MUITO BOA E MUITO BARATA!

Base baratinha, fácil de achar em São Paulo, promete cobertura construível e acabamento mate.

https://cheiadevicios.com/2018/08/17/resenha-base-liquida-matte-adversa-makeup

Quem me acompanha no Instagram (@thaischeiadevicios) deve ter visto minhas primeiras impressões sobre essa base. Pra quem não tá por lá, olha o resumo:

  • comprei a base na loja VIP Makeup, na 25 de março; custou R$9,20.
  • a cor que eu comprei pra mim foi a 100. Deu muito certo no meu tom de pele.
  • e sim, a Adversa Makeup não testa em animais.

Então, vamos à resenha completa?

Embalagem

A base da Adversa Makeup vem em uma bisnaguinha com cores fofas e delicadas; são 30ml de produto. Uma parte da embalagem é transparente, o que eu amo, porque permite ver a cor da base. A caixa dela também tem uma área vazada, que também é legal pra identificar sua cor. Mas podia muito ter essa cor de forma mais destacada, hein? Achei chatinho de ficar catando minha cor na prateleira da loja.

Cor

Como já comentei, minha cor é a 100. Fiquei feliz que deu super certo! Bases baratinhas não costumam ter a minha cor. E quando têm, a base oxida muito.

*oxidar = a base escurecer/ficar alaranjada depois de seca

A base líquida matte da Adversa não teve esse problema; não oxidou e deu muito bom com todos os pós que eu testei.

Ponto negativo: são apenas seis cores disponíveis. Acho que é compreensível por ser uma marca nova e pequena, mas, infelizmente, nem todo mundo vai encontrar sua cor. Os swatches a seguir são do Blog Fashion MiMi (porque né, eu mal tenho dinheiro pra comprar a minha cor, imagina todas hahahahah).

 

Cobertura e Durabilidade

A Adversa Makeup promete:

“A base líquida Adversa oferece acabamento matte. Sua formulação permite constituir camadas que intensificam a cobertura.”

Logo no primeiro uso, achei a base muito fácil e prática de espalhar. Usei com pincel língua de gato, com pincel tradicional de base e até com a mão e consegui deixar o acabamento uniforme sem nenhum problema. Não achei que a base seca 100%. Em mim, ela não ficou matte e eu senti necessidade de selar com o pó todas as vezes que usei.

Ao meu ver, a cobertura da base da Adversa é leve. No máximo, de leve à média. Dá sim pra construir camadas, mas não senti que a cobertura chega a ficar muito intensa. Usando com duas camadas, achei a cobertura ideal pra uso no dia a dia – pra usar todo dia, gosto de uma cobertura mais leve… só o suficiente pra amenizar a acne e uniformizar o tom da pele.

A durabilidade dela, na minha pele oleosa, foi bem limitada. Depois de umas quatro horas, a cobertura já começa a diminuir e o sebo da pele começa a aparecer. Se você tem uma pele oleosa e quer algo que dure o dia todo, umas 8h e tal, essa base pode não ser a ideal pra você.

Pessoalmente, achei uma base muito legal. Usei por mais de 15 dias seguidos (todo dia!) e não tive reação nenhuma na pele. Como ela não tem componentes de tratamento nem fator de proteção solar, não a considero uma base IDEAL.

Porém, por menos de dez reais, achei digníssima. Com certeza compraria de novo!

xoxo

A Dalla Makeup é vegana? A Dalla Makeup é cruelty free?

Essa semana começou meio pesada. Ontem postei sobre um assunto no instagram e agora trago esse papo pra cá.

Depois de comprar base, pó, top coat, sombra líquida e mais mil coisas da Dalla Makeup, me deparei com alguns artigos na internet sobre a marca. Especialmente, sobre a marca se recusar a prover informações sobre a origem e fabricação de seus produtos.

A Dalla Makeup faz publicidade afirmando ser cruelty free e que sua base é vegana. Mas já chegou a ameaçar de processo consumidores veganos que questionaram algumas respostas da marca. Li sobre isso pela primeira vez mês passado, no blog da Ari Vegan (www.arivegan.com).

“A Dalla Makeup não me respondeu se realizam testes em animais ou não (ou se terceirizam os testes, ou se os fornecedores testam), não me responderam se os ingredientes eram de origem vegetal, sintética ou animal, E NÃO TEM NADA NO RÓTULO como mostrado nos prints, diferente do que a marca diz.

A marca me bloqueou em seu Instagram, e apagou DEZENAS de comentários de veganos, e bloqueou outros veganos buscando informações em sua fanpage no Facebook. 

E para finalizar, a dona (??) da marca ameaçou me PROCESSAR por atacar a marca. Alguém me responde: Desde quando exercer seus direitos como CONSUMIDOR é atacar? Desde quando buscar informações sobre um produto e não obter resposta é atacar?”

Esse trecho é de um post super explicativo, munido de fontes e prints. Pra acessar, clica aqui.

Bom, depois de ver esse post, mandei meu próprio e-mail para a Dalla Makeup. Queria tirar minhas próprias conclusões. Uma observação básica aqui… o site da marca não traz quase nada de informações e o e-mail oficial deles é do Hotmail. Achei muito esquisito uma empresa sem domínio próprio, mas né…. Enfim, continuemos.

Meu primeiro e-mail foi enviado dia 17/06. Não recebi resposta. Dia 12/07 enviei um segundo e-mail. Continuei sem resposta. Aqui o texto na íntegra que enviei nas duas ocasiões:

Oi, gente, tudo bem?
Meu nome é Thais! Sou consumidora de vários produtos de vocês! Top coat, base, pó, a nova sombra líquida…
Comecei um blog há um tempo e, por isso, estou testando muitas maquiagens e buscando mais informações sobre as empresas.
Será que vocês conseguem tirar algumas dúvidas minhas? Agradeço a disposição desde já ❤
Bom, vocês anunciam que os produtos fabricados por vocês são feitos sem crueldade animal, e que vocês estão buscando certificá-los como cruelty free e veganos. Como são testados os produtos de vocês? Os testes são feitos internamente (como, por exemplo, a Natura) ou são terceirizados?
Onde são fabricados os produtos de vocês? É possível providenciar o contato da empresa responsável pela produção para que eu possa perguntar sobre origem dos ingredientes? Os fornecedores conduzem testes em animais?
Há algum meio oficial que liste quais produtos da Dalla Makeup são veganos e quais não são? Infelizmente, o site de vocês não forneceu nenhuma informação que me fosse útil. 😞
Enfim, foram muitas perguntas, mas tenho fé que iremos conseguir continuar essa conversa!
Muuuito obrigada!

Sem ter recebido resposta nenhuma por mais de um mês, mandei mensagem no inbox do Instagram pra ver se me respondiam. Bom, algumas muitas horas depois recebi uma resposta. Vou deixar aqui os prints (basta clicar em cada imagem individual para ver em tamanho maior).

Não sou vegana, mas o CÓDIGO DO CONSUMIDOR nos permite questionar sim sobre os ingredientes de um produto. Estou pesquisando como abrir uma denúncia no CONAR contra a empresa, pois não recebi nenhuma resposta objetiva ou direta. Na última mensagem, como pode ser visto na imagem acima, fiquei sem nenhum tipo de resposta.

Anunciar a marca como cruelty free sem ser é propaganda enganosa o que é crime (sujeito a detenção e multa).

Como já disse, o post no blog da Ari Vegan é super completo com prints e tudo mais. Aconselho muito a irem lá ver!

E vamos lembrar que as marcas só sobrevivem porque a gente tá aqui dando dinheiro pra elas. Temos o direito e o dever de questionar, entender e cobrar quando nos sentimos lesados. E sim, me sinto lesada como consumidora, pois só comprei todos esses produtos porque a marca afirma ser cruelty free.

Comprar ou indicar Dalla Makeup NUNCA MAIS. Não quiseram dar informações sobre os produtos e o atendimento ao consumidor foi PÉSSIMO.

PS: Não deletarei o post que eu havia feito sobre a base; irei editar com as informações desse texto.

xoxo

Resenha: Primer Facial Studio Perfect Ruby Rose

Desde que uma dermatologista me falou sobre os danos de aplicar a maquiagem direto no rosto, não consigo passar nem uma base ou corretivo sem primeiro preparar a pele com hidratante/primer. Por usar primer todos os dias, acabo conseguindo testar uma variedade grande deles. Hoje, vou falar aqui do primer facial Studio Perfect da Ruby Rose.

A descrição desse produto no site da RR é a seguinte:

“Com o Primer Facial 8086 da Ruby Rose, você terá uma maquiagem perfeita por mais tempo!  O Primer Facial tem um aspecto em gel que suaviza a pele e cobre todos os poros deixando a pele macia e aveludada!”

A embalagem é básica, mas cumpre o propósito de manter o produto preservado. As inscrições nela dizem: “Photo-loving primer. Definição perfeita. Suaviza as imperfeições 100%.”

 

Esse é um primer com textura bem siliconada. Em mim, ele não secou 100%. Senti que deu uma LEVE maciez pra pele, sem de fato disfarçar totalmente os poros. Testei de dia, de noite, em dias mais quentes e em dias mais frios. Não notei mudança nessas diferentes situações. Pra quem é alérgica ou se incomoda com cheiros fortes: ele não tem fragrância nenhuma.

Testei, primeiramente, com as bases fluídas da Quem Disse, Berenice? e da Vult. O resultado com elas foi bem satisfatório! Deu uma uniformizada no tom da pele, ajudou a base a ficar no lugar por um pouco mais de tempo e não craquelou. Pro dia a dia, esse é o resultado básico que eu espero de um primer. O que eu não curti muito: ele não rende tanto quanto vários outros primers que eu já testei. Preciso sempre pegar um pouco mais de produto do que estou acostumada pra conseguir cobrir o rosto todo.

Quando testei com bases mais secas, como a base da própria Ruby Rose e a de alta cobertura da Tracta, o negócio desandou total. Na hora de espalhar a base, mesmo eu indo com toda delicadeza do mundo, o primer começava a esfarelar e sair. A mesma coisa aconteceu quando eu o utilizei como primer para olhos; a sombra esfarelou totalmente. Fiz umas fotos na mão pra mostrar:

 

Na imagem abaixo, no lado esquerdo estou sem primer e no direito com; quase não há diferença.

 

O rendimento e o efeito dele foram bem abaixo do que eu esperava. Não fez mal a minha pele e se deu bem com os produtos que eu uso diariamente, então continuarei usando até acabar. No site da marca, o primer facial Studio Perfect custa R$16,90 (embalagem com 25ml). É um preço amigável, mas não acho um bom investimento. Apesar de não conhecer outros primers bons com esse mesmo preço, acredito que vale mais a pena juntar mais um pouquinho de dinheiro e adquirir um produto mais eficiente.

Por hoje é só!

xoxo