Resenha: Corretivo Líquido Zanphy

Não lembro se já comentei muito aqui, mas eu estou SEMPRE buscando bases e corretivos no meu tom de pele (aquela coisa bem White People Problems). Aproveito pra falar que, apesar de ter dificuldade de achar produtos que sejam pra minha pele branquíssima, sei que negras e negros que usam maquiagem têm esse problema elevado a milésima potência.

As marcas insistem em criar bases, pós e corretivos em uma gama de cores limitadíssima (tem empresa que só trabalha com umas 3-4 cores).  De vez em quando, aparece alguém dizendo ser super inclusivo e inovador (cof cof, BT, cof cof) e cria uns tons que deixam a pele negra esbranquiçada ou acinzentada (e ainda tem coragem de dizer que não vale a pena criar coisa pra pele negra, porque não vende…….. Negra Rosa e Fenty Beauty estão aí pra provar o contrário); aí, no fim do dia, a realidade é que o mercado oferece milhões de opções pra nós brancas e quase nada pras peles negras.

Encontro várias coisas que são bem próximas da minha cor em marcas nacionais e internacionais, então não posso jamais reclamar. Tenho uma certa dificuldade é em relação a corretivos; achar um corretivo bom e um tom abaixo da minha cor pra usar pra iluminar é essa tarefa complicada que eu comecei o texto falando.

Pesquisando nesse país chamado Internet, li sobre um corretivo líquido da Zanphy que diziam ser super claro.  Muito iludida, fui lá no site da Maquiadoro e comprei o corretivo na cor 01 – claríssimo. Ele realmente é claro, mas só enquanto aplica. Eu fiquei impactada com oxidação desse negócio: é absurda!

Vamos à descrição do produto pela marca:

O corretivo líquido é desenvolvido com produtos naturais que não agridem a pele e apresenta formulação com cobertura excelente de imperfeições da pele, como rugas e manchas.

  • Aplicador que facilita a cobertura de áreas direcionadas;
  • Secagem rápida;
  • Maior aderência à pele.

Composição: Cetearyl Alcohol, 2-Bromo-2-Nitropropane-1,3-Diol, Stearic Acid Bht, Cellulose Gum, Lanolina, Glyceryl Stearate, Propylparaben, Propylene Glycol, Polybutene, Paraffinum Liquidum, Magnesium Aluminium Sulfate, Methylchloroisothiazolinone, Methylisothiazolinone, Aminomethyl Propanol, Dmdm Hydantoin, Aqua, Manihot Utilíssima Starch, Propylene Glycol, Boron Nitride, Parfum, Benzyl Salicylate, Coumarin, D-Limonene, Gerantol, Linalool.

O que eu achei:

É um corretivo líquido mate, bem seco. Uma chatice pra espalhar. Tentei usar pra disfarçar espinha, pra cobrir olheira e como base pra sombra… não funcionou direito de nenhuma forma. Só consigo usar pra disfarces muito pontuais, cobrir uma acne aqui outra ali e sem espalhar/esfumar. Pra espalhar, testei pincel de corretivo, esponjinha umedecida e os dedos e sempre ficou craquelando e saindo.

Preço até aceitável (custou R$21,90 na Maquiadoro), cobertura mediana, textura ok… mas tudo inútil já que a aplicação é ruinzinha que só. Fica mais inútil ainda depois de algumas horas de uso. Mesmo tendo se mantido mate, começou a abrir completamente no meu rosto. Vou deixar aqui uma foto que postei nos meus stories.

Enfim, um produto que não deu certo em mim de maneira nenhuma. :\ Se alguém aí usar esse corretivo e conseguir um resultado legal, me avisa! Queria saber se dei azar ou é assim pra maioria!

Durante o mês de julho, tem texto novo TODO DIA! Vamos aprofundar em cosméticos cruelty free, veganos e marcas que não testam em animais.

Segue lá no Instagram também (@blogcheiadevicios) pra não perder nada!

xoxo

 

Resenha: Sérum Encanto da Sereia Ruby Rose

Eu sou muito da opinião que maquiagem é maquiagem e tratamento é tratamento. Não costumo tentar usar como “tratamento” produtos de marcas de make; maaaas, como só o que tá rolando são esses sérums e óleos de cuidados com a pele (acredito eu que influenciados pelo sucesso da Farsáli), resolvi me render e testar alguns. O primeiro que eu comprei e testei foi o Sérum Encanto da Sereia da Ruby Rose.

A descrição no site da RR é a seguinte:

O Sérum Facial Hidratante da Ruby Rose foi produzido especialmente para peles que precisam de um cuidado diferenciado, juntamente com sua fórmula alto hidratante o Sérum se adapta muito bem a todos os tipos de pele, além de reduzir a aspereza e o ressecamento ele pode ser utilizado diariamente. O resultado é uma pele saudável, hidratada e radiante. Possui ação hidratante, emoliente, restauradora, remineralizante e condicionadora. Shiitake – Rico em proteínas reestruturantes que melhoram a resistência da pele. Ginseng – Cicatrizante, dermopurificante, emoliente tendo efeito bioativador, tonificando, hidratando e regenerando os tecidos da pele. Ginkgo Biloba – Ação profilática do envelhecimento celular e tratamento estético pela ação protetora contra radicais livres e pela inibição da destruição do colágeno. Aveia – Possui ação emoliente, nutritiva, hidratante, remineralizante, suavizante e amaciante. Germe de Trigo – tem ação emoliente, hidratante, nutritivo e amaciante, antirradicais livres, calmante, condicionador, dermoprotetor, tonificante e regenerador da pele.

Benefícios do Sérum Facial Hidratante:

  • Promove uma pele hidratada e livre de ressecamentos
  • Testado dermatologicamente
  • Textura cremosa
  • Reestabelece os níveis de água da pele ao longo do dia
  • Aplicador prático e delicado
  • Fácil absorção
  • Livre de óleo mineral, parabenos e corantes.
  • Desenvolvido para todos os tipos de pele

Referência: HB311

Peso: 30ML

Promete alta hidratação e restauração para todos os tipos de pele; é livre de óleo mineral, parabenos e corantes. Vem com esse aplicador conta-gotas que é a maior modinha entre as blogueirinhas do Instagram. Achei que era um negócio super líquido pela embalagem, mas tava enganada. Eu, pessoalmente, odiei esse frasquinho. O produto tem uma fórmula mais densa, grossa, então não “pinga” facilmente pelo conta-gotas.

Composição:

Aqua, Cyclopentasiloxane, Dimethiconol, Butylene Glycol, Caprylic, Triglcyceride, Dimethicone, Sodium, Polyacrylate, PEG/PPG-18/18, Dimethicone, Trideceth-6, Phenoxyethanol, Caprylyl, Glycol, DMDM Hydantoin, Parfum, Dimethicone Crosspolymer, Cyclomethicone, Hyaluronic Acid, Disodium, EDTA, Benzotriazolyl Docecyl P-Cresol, Octadecyl, Di-T-Butyl-4-Hydroxyhydricinnamate, Propylene Gylcol, Cicbarium Intybus Leaf Extract, Rose Extract, Sphingolipids, Tocopherol, Glycine Soja Oil, Gylicol Distearate, PEG-75 Lanolin, Glycyrrhiza Glabra, Rhizome/Root Extract, Bertholletia Excelsa, Seed Oil, Hydrolyzed Rhodophycea Extract, Methylisothiazolinone, Tocopheryl, Acetate, Saccharum Officinarum Extract, Panax, Quinquefolium Root Extract, Avena, Sativa Kernel Extract, Bambusa, Vulgaris Extract, Corthellus Shitake Extract, Ginkgo, Biloba Leaf Extract, Triticum, Vulgare  Germ Extract, Panthenol, Iodopropynyl Butylcarbamate, Biotin, Menthol, Alpha Isomethyl Ionone, Amyl, Cinnamal, Benzyl Benzoate, Benzyl Salicylate, Butylphenyl Methylpropinal, Citronello, Hexyl Cynnamal, Hydroxycitronellal, Hydroxyisohexyl-3- Cyclohexene Carboxaldehyde.

Não acho que o poder hidratante seja alto assim, pra tratar ressecamentos e etc. Mas sim, deixa a pele macia. Tenho usado todos os dias e não senti nenhuma alergia, piora da acne ou irritação (existe uma fobia enorme com os produtos de pele da Ruby Rose; muita gente relata casos graves de acne depois de usar a base, os corretivos e até o primer da marca). Custa R$17,68 no próprio site da @rubyrose_oficial. Por causa da embalagem, não sei se compraria novamente. Tô imaginando como vai ser péssimo pra usar quando o sérum estiver no finzinho.

Vou deixar aqui também o link da resenha da Marina, do Coisas de Diva. Como eu, ela está usando o sérum como um primer, não como tratamento da pele!

Durante o mês de julho, tem texto novo TODO DIA! Vamos aprofundar em cosméticos cruelty free, veganos e marcas que não testam em animais.

Segue lá no Instagram também (@blogcheiadevicios) pra não perder nada!

xoxo

Resenha: Corretivos Ruby Rose

Com todo o hype em volta dos produtos da Ruby Rose, senti que eu precisava testar e conhecer os mais famosinhos. Já tinha procurado em lojinhas na 25 de março, mas nunca achava as bases e corretivos pro meu tom de pele. Aí descobri que a Ruby Rose tem um e-commerce próprio! O site é bem digno, os preços são melhores que em algumas outras lojas e, milagrosamente, encontrei a base na minha cor. A entrega também foi MUITO rápida, até me assustei.

Comecei testando a base e dois corretivos. Hoje, vou falar só dos corretivos, pois acho que ainda preciso usar mais um pouco a base pra formar uma opinião. Os dois corretivos que eu comprei foram o Corretivo Flawless Skin Collection e o Corretivo de Alta Cobertura. A primeira coisa a ser falada é que os dois produtos são bem secos – o que deu muito certo na minha pele oleosa – e assentam rápido, então não dá pra colocar, curtir a vida e depois voltar pra espalhar ou esfumar. Ambos tem um cheirinho de talco ou algum produto pra bebê que eu não consegui identificar direito. Gosto muito de maquiagens com perfuminho assim, sem cheiro de coisa química. O aroma é bem leve, mas quem for mega sensível a cheiros pode estranhar.

O corretivo de alta cobertura não estava disponível na minha cor, que acredito que seja a L1. Comprei a L15, que é muitos e muitos tons acima do meu. A ideia era usar como contorno, pois achei o subtom desse corretivo mais quente… e tudo que eu tenho de contorno até agora é mais puxado pro frio. A embalagem é uma bisnaga de 13ml, com um aplicador na ponta que já é um pincelzinho.

Amei o subtom dele. É realmente mais puxado pro quente, e é ótimo pra fazer makes com vermelho, laranja ou marrons também quentes. De cara, percebi que a pigmentação era bem alta. Na primeira vez, usei mais produto e não deu nada certo. Na segunda, usei umas duas gotinhas, apliquei com o próprio pincel da embalagem e gostei muito. Claro, precisa depois vir com um pincel mais fofo pra esfumar. Como testei a noite e minha iluminação aqui é podre, acabei ficando sem uma foto decente do resultado. Tenho fé que depois consigo fazer uma foto legal, já que pretendo usar muito esse produto nas minhas maquiagens.

O outro corretivo, o Flawless Skin, consegui comprar na cor L1. Eu sou muito pálida e é quase impossível achar um corretivo que fique mais claro que minha pele. Então, infelizmente, o L1 fica levemente escuro pra mim. O tubo vem com 4ml de produto e o aplicador é do estilo tradicional, semelhante aos aplicadores dos corretivos da Zanphy e da Bruna Tavares.

A cobertura dele é INCRÍVEL e muito macia. Não vou conseguir usar o L1 como iluminação, principalmente com a base da Ruby Rose que é *spoiler* mega clara (clara comparada a maioria das bases; pro meu rosto, deu perfeitamente). As bases que eu uso durante o dia tem um subtom mais rosado e são levemente mais “queimadinhas”. Com essas bases, o corretivo L1 da RR fica muito bom. A pele fica tão lisinha que fiquei com vontade de tacar o corretivo na cara toda, hahahahaha.

Vamos aos preços: o Corretivo Líquido Flawless Skin custou R$10,00 e o Corretivo de Alta cobertura foi R$11,99. O site da Ruby Rose oferece 10% de desconto na primeira compra e permite parcelar, sem juros, no cartão de crédito.

Olha, eu achava que rolava aquela propaganda enganosa por parte das blogayras que usam e falam da Ruby Rose, mas o babado é REAL. Obviamente, já tinha lido e visto muitos elogios a essa nova leva de produtos da marca, e mesmo assim fui muito surpreendida positivamente.

Preço bom, qualidade incrível, durabilidade excelente e NÃO SÃO TESTADOS EM ANIMAIS. Ruby Rose, miga, tô te amando.

 

xoxo

 

Resenha: Base líquida superfluida Quem Disse, Berenice? PARTE II

Semana passada, eu testei pela primeira vez a base líquida superfluida da Quem Disse, Berenice?. A resenha completa tá disponível aqui. Minha primeira impressão da base foi incrivelmente boa. A sensação de não ter nada na pele e a cobertura leve/natural foram os aspectos que eu mais curti.

Quando fui usar a base ontem, pela segunda vez, decidi tentar fazer uma cobertura maior. Fiz algumas coisas diferentes: coloquei a base no rosto todo de uma vez só e em uma quantidade bem maior (na última vez, eu apliquei um lado do rosto de cada vez). Também usei um primer diferente (na sexta, usei um primer que saiu de linha, da Quem Disse, Berenice?, e ontem usei o primer facial com derivados de arroz da Contém 1g). Senti um pouco mais de dificuldade pra espalhar o produto e deixar sem nenhuma marquinha do pincel.

Terminei de aplicar e percebi que a base não tinha secado como da outra vez. Deixei assentar mais antes de continuar a maquiagem. Esperei uns 10 minutos e continuei. Dessa vez, a base ficou longe de secar totalmente. Eu percebi muito a diferença quando coloquei meu óculos e ficou sujando na ponte do nariz. Não apliquei pó porque queria ver como a base se comportava sozinha com o passar das horas.

Quando cheguei na faculdade, fui me olhar no espelho do banheiro e percebi que meus poros estavam bem visíveis de perto. Além de acumular no meu olho empapuçado, a base deu uma acumulada nos meus poros. O primer de derivados de arroz da Contém 1g sempre fica muito bom na minha pele, então não acho que ele tenha sido o problema. Usei um papel toalha para secar a pele levemente. Não chegou a diminuir a cobertura onde eu passei o papel, mas a base transferiu bastante.

Voltei pra casa umas quatro horas depois. No caminho, acabei transpirando por causa do ônibus e a base ficou com um aspecto meio irregular. Não fiquei parecendo um boneco de cera derretido, mas os pontos onde o suor acumulou ficaram um tom mais claro. Passei a mão no nariz e a cobertura foi embora total. Fiz um vídeozinho bem tosco pra tentar mostrar como ficou a situação (a luz no meu quarto é péssima e eu filmei errado, então foi o que deu pra fazer. risos).

Alguns adendos… Esses dias minha pele está mais oleosa e com os poros mais abertos do que na semana passada; tô entrando na TPM e isso reflete muito na minha pele. Além disso, o clima ontem estava mais úmido do que na última vez que testei a base líquida superfluida. Fiquei decepcionada, mas ainda não estou pronta pra desistir dessa base. Vou testar mais algumas vezes pra entender se é amor ou se é perfect illusion.

https://giphy.com/embed/l0HlUWhdHrc1Uakxy?video=0via GIPHY


xoxo